Arquivo do Autor

ônibus

março 1, 2010

– Não me lembro de todos os detalhes com precisão…

– Conte-me o que você sabe então.

– Esta bem, tudo começou hoje de manhã, como todos os dias eu estava indo para o meu desinteressante trabalho. Como você já deve saber eu sou funcionário do Detran e passo o dia carimbando formulários e requerimentos. É um trabalho penoso e enfiado naquele muquifo, sem ver a luz do dia e com a fumaça de cigarro pairando no ar torna o lugar um tanto insuportável. Voltando para o que aconteceu, eu estava a caminho do trabalho no meu terceiro ônibus. Enlatados comigo estavam uma pequena centena de pessoas, foi quando esmagado por bundas, braços e com pouco ar nos pulmões pude perceber na cintura de um passageiro um revólver prateado. O sol refletia na arma e a fazia brilhar o que fisgava o meu olhar sobre ela. Nossos olhos são os únicos órgãos que não sofrem pressões dentro do ônibus, são os únicos que podemos movimentar sem dificuldades. Mas enquanto os dos outros passageiros estavam à procura de espaços para respirar os meus estavam fixados na arma. Eu não tinha medo daquele homem sacar a arma e assaltar ou assassinar uma pessoa no ônibus, pois simplesmente era impossível com aquele tanto de mundo. Fruto do azar ou do poder da fascinação a constrição fez o revólver cair da cintura do homem. Amortecida pelas calças, coxas e pés a pistola atingiu o chão sem grande barulho e não chamou a atenção mesmo ricocheteando entre as já comprimidas pernas. Três paradas a frente era um ponto nevrálgico da linha, o ônibus se esvaziava pela metade, mas rapidamente outra manada vinha preencher os espaços vazios. Não era a minha parada, mas com a movimentação de pessoas eu poderia alcançar aquele objeto que tanto me fascinava. Foi assim que sucedeu, entre uma boiada e outra consegui me abaixar e pegar a arma. Ao levantar eu mal conseguia erguer a cabeça e respirar como se a passagem entre o mar de gente tivesse se fechada sobre mim. Confinado entre as peles sebosas e os cabelos oleosos pude perceber o olho do homem fixado sobre mim. Se por um instante eu tinha pensado em perfurar o meu chefe doze vezes eu não podia mais.
Aquele olho me fixava, não piscava e como uma ave de rapina a pupila se focava na presa. O olho daquele homem era mais do que uma janela para a alma, mas também um espelho da minha danação. Recuperar o revólver e matar a testemunha era o que dizia o glóbulo.
A viagem continuava e mesmo com as vibrações e instabilidades aquele olho não desgrudava em nenhum momento de mim. Cheguei ao meu ponto, durante a parte da viagem em que eu estava armado e fuzilado eu tinha chego a covarde conclusão de devolver a arma para o olho. Assim que coloquei o pé na calçada senti uma força me segurando pelo braço. Virei-me e lá estava o olho acompanhado do seu par simétrico e tão severo quanto. Apontei a arma para ele. O olho não mudou de expressão, aproximei o cano e entreguei o revólver.
Depois disso não lembro de mais nada, acordei com uma dor de cabeça aqui na delegacia. Acredito que ele me deu uma coronhada e desmaiei.

– Se esse for o caso você não deveria estar num hospital?!

– Acho que sim, não sei por que me seguras aqui!?

-Talvez tenha a ver com o seu chefe.

– O que tem ele?

– Contaram 12 furos no corpo dele.

Anúncios

Awkward

maio 18, 2009

Tão estranho como a ortografia da palavra “awkward” (bizarro/estranho) em inglês são as fotos de familia neste site.
Fotos de familia principalmente aquelas de natal são coisas, como diriam alguns, bizarras…

Para complementar as fotos estranhas, leiam os comentarios hilários de cada uma das fotos.

Batman vs Coringa Break Dance

março 29, 2009

Este video de Youtube oferece algo novo, além de ser uma animação em stop-motion muito bem feita no estilo do Iron Man vs Bruce Lee.
Ela oferece algo novo no site que é a interatividade. Você escolhe o seu personagem o coringa ou o Batman e tenta derrotar o seu oponente acertando a sequência. Cada vez que você acerta outro video é carregado mostrando os passos de dança. No final ganhando o perdendo oferecem o Street Fighter no mesmo estilo, que vale a pena ser conferido.

Dor nas costas

março 27, 2009

Nada doía, nunca na vida ele tinha sentido algo tão prazeroso e morto. Nem mesmo a dor da vida estava presente. Procurando algum encomodo ele gesticulava, forçava as articulações, mas nada. Fincou um garfo na mão e sem resultados. Chegou a uma conclusão talvez o bem que lhe aflegia so poderia ser revertido por outra pessoa. Pegou o cartão da prostitua a quem sempre sentiu um prazeroso temor. Nele se lia dor e sensualidade ou você não paga nada. Ligou. Pediu pra que viesse o mais rápido possível e assim foi. Chegou uma mulher de impermeável e assim que ele fechou a porta este se abriu. Ela vestia uma roupa de couro com espinhos que saiam para todos os lados. Ela o amarrou e o chibatou. Por horas e nada adiantou. Até trocou os instrumentos, chicotinho, porrete, bambu, mas nada. Desistiu o soltou. Deprimida com o seu fraco desempenho não cobrou nada e foi embora. O homem não entendia mais tinha uma outra idéia. Decidiu se fazer um bem permanente. Armado com uma colher arrancou o seu próprio globo ocular e assim ficou. Colocou um formoso tapa olho que de olho não tapava nada. A extração ocular por mais gosmenta e sangrenta que tinha sido não propiciara nem uma gota de dor. Ao contrario durante o processo gemia, gemia de prazer como nenhuma prostitua ou gigolô tinham conseguido lhe dar até então. Ficou tentando em arrancar o seu outro olho fora, mas a cegueira o amedrontava. Pensou em outros órgãos que tinha em pares e que poderiam ser removidos sem grandes desconfortos. Rins era difícil operara de costas, narinas não existem são buracos, testículos temia por sua fertilidade. Nenhum órgão era tão inútil como um olho. Foi pra cama feliz pelo prazer triste pela dor inexistente. Morreu por aquela noite, mas acordou sem sonhar.

A volta do Daltonico

dezembro 1, 2008

Como alguns sabem sou daltonico. Um daltonico orgulhoso de sua eficiencia conática ocular, Já pensei no quão bom seria uma nação de daltonicos o único problema seriam as mulheres elas seriam poucas mas isso tornaria as coisas mais criativas. Para capturarmos mulheres seriamos pirata a coisa que um homem de verdade sempre quis ser. (Vai dizer que vestir colan preto e ficar escondidinho é o que vc queria ser ?)
Bom recapitulando seria uma naçao de daltonicos piratas que iriam de país em país sequestrando mulheres e enchendo a cara sem escrupulos !!! Sem cor na bandeira apenas formas….
Inflezimente isso ainda nao é verdade. Por isso há um site que ensina aos opressores o modo de ver daltonico…

http://www.idea.org/vision-demo.html

Fonte: SuperInteressante

You Lose…

novembro 3, 2008

seria legal fazer um jogo de video game com lutadores podres meio bebados e desquilibrados… mudaria dos golpes perfeitos….pois ja fizeram o filme do youtube…

Provavelmente montado mas engraçado….

Vou Explodir vou explodir

outubro 30, 2008

– O que foi ta apertado quer ir ao banheiro? Segura faz mal conhece a história do homem que não foi mija por estar viajando na mesma carroça que o rei e acabou morto devido a uma explosão de bexiga.

– Não é isso idiota não to apertado eu só não agüento mais, não agüento mais o trabalho não agüento mais sua cara não agüento mais nada.

– Você tem duas opções uma se matar a outra matar a todos…

Acho a segunda mais divertida imagina descarregar um pente de metralhadora nos colegas chatos do trabalho, imagina atropelar aquela velinha que demora pra atravessar a rua ou mesmo fazer um strike no mundaréu de gente que atravessa aquelas grandes avenidas isso deve ser bacana…

– Você sempre tem essas respostas inúteis eu to estressado pra caralho e a única coisa que você me propem são idéias ilegais, psicopatas e nulas. Nada prático ainda bem que colocaram este tapa-olho no seu respectivo globo. Você sempre vê o mundo a sua maneira sempre com respostas frívolas, pensando em festas e no prazer da carne. Você nunca me deu uma boa resposta nunca fez nada por mim seu maldito.

– Ta pegando pesado eu só perdi uma aposta

– Eh de tão burro que você é você apostou na existência do pé grande bêbado provaram que ele não existe e tiraram seu olho por não ter a grana panaca você. Além do mais eu te avisei antes da festa não beba não faça nada inútil e a única coisa que você consegue fazer é perder metade da visão prum macaco imaginário.

– Descarregou?! Ta se sentido melhor?

– Não eu ainda vou explodir…

– Então deixe eu te ajudar…

– Que que se vai fazer com esse garfo … Caralho se ta louco ai não ai não….

– E ai ta melhor?

– Acho que sim todas as cores sumiram elas sempre me irritaram.

Metodos estranhos

outubro 28, 2008

Este é um método estranho, maldoso, sujo e surreal…bem surreal

Bom eu nao conheço a anatomia do gato mas nao deve fazer bem ao bichano…

Tic Tic tov…

outubro 28, 2008

Eu estava divagando pela internet vendo aqueles clipes hindus, russos, paquistaneses, etc. Aí eu me deparei com esse antigo hit nacional, que pelo jeito é internacional. Nós traduzimos Dostoievsky, eles traduzem tic-tic-ta (na verdade não traduzem esta parte, mas tudo bem). Pra falar a verdade tudo que dá grana é traduzido ou reproduzido.

O cantor merece uma atenção especial porque poderia ser um amigo do Napoleon Dynamite (filme que se você não viu, vá ver). Gosh!

A minha interpretação da família Adams na praia tem a ver com os russos serem um povo nórdico com uma cor de pele bem branca curtindo a badalação das praias brasileiras ou pelo menos como as imaginam. Engraçada é a reação final do careca, ele parece que tá puto…

PCs vc Macs pra macho

outubro 24, 2008

Este sim deveria ser o comercial dos Macs ou dos PC’s, em vez daqueles dois patetas falando coisas inúteis e falsas (como por exemplo que Macs não dão pau, fato desmentido até pelo maior fã da marca neste blog que não escreverá nos proximos dias devido a uma falha técnica do seu Mac.)

Uma coisa é certa Mac e PC vão ser sempre úteis pra partir pra porrada! E disso é que nós, ou pelo menos eu gosto! E como diriam alguns amigos é um filme Belga…

O final é totalmente descartável.