Archive for the ‘inutilidades’ Category

O que fez o Papai Noel a Karl Marx?

novembro 5, 2010

Papai Noel

Aproveitando o gancho dos últimos dias, em que vimos os franceses brigando pelos seus direitos ao bem estar social, tive um lapso que me fez recordar de alguns fatos históricos ligados a sociologia. Óbvio, quando se fala de assuntos relacionados a sociedade é impossível deixar de mencionar Karl Marx.

(more…)

Anúncios

Et’s – Again, again,…, and again!

junho 29, 2010

Depois de tempos jogado ao acaso e perpetuado pela inércia promovida pelos antigos posts, este blog renasce depois sessões em regime de desfibrilização. Parece tudo muito parecido, again!

Vamos aos fatos! Quem que alguma vez já não passou por este blog e não viu o famigerado post sobre a entrevista feita por nós ao ufólogo, Lourival Gomes. Pois bem, ele voltou e agora em grande estilo. Nesta segunda-feira, 28/06/10, ele esteve no Programa do Jô, para dar uma entrevista sobre seus conhecimentos. Para quem não acompanhou, poderá ver agora:

(more…)

ônibus

março 1, 2010

– Não me lembro de todos os detalhes com precisão…

– Conte-me o que você sabe então.

– Esta bem, tudo começou hoje de manhã, como todos os dias eu estava indo para o meu desinteressante trabalho. Como você já deve saber eu sou funcionário do Detran e passo o dia carimbando formulários e requerimentos. É um trabalho penoso e enfiado naquele muquifo, sem ver a luz do dia e com a fumaça de cigarro pairando no ar torna o lugar um tanto insuportável. Voltando para o que aconteceu, eu estava a caminho do trabalho no meu terceiro ônibus. Enlatados comigo estavam uma pequena centena de pessoas, foi quando esmagado por bundas, braços e com pouco ar nos pulmões pude perceber na cintura de um passageiro um revólver prateado. O sol refletia na arma e a fazia brilhar o que fisgava o meu olhar sobre ela. Nossos olhos são os únicos órgãos que não sofrem pressões dentro do ônibus, são os únicos que podemos movimentar sem dificuldades. Mas enquanto os dos outros passageiros estavam à procura de espaços para respirar os meus estavam fixados na arma. Eu não tinha medo daquele homem sacar a arma e assaltar ou assassinar uma pessoa no ônibus, pois simplesmente era impossível com aquele tanto de mundo. Fruto do azar ou do poder da fascinação a constrição fez o revólver cair da cintura do homem. Amortecida pelas calças, coxas e pés a pistola atingiu o chão sem grande barulho e não chamou a atenção mesmo ricocheteando entre as já comprimidas pernas. Três paradas a frente era um ponto nevrálgico da linha, o ônibus se esvaziava pela metade, mas rapidamente outra manada vinha preencher os espaços vazios. Não era a minha parada, mas com a movimentação de pessoas eu poderia alcançar aquele objeto que tanto me fascinava. Foi assim que sucedeu, entre uma boiada e outra consegui me abaixar e pegar a arma. Ao levantar eu mal conseguia erguer a cabeça e respirar como se a passagem entre o mar de gente tivesse se fechada sobre mim. Confinado entre as peles sebosas e os cabelos oleosos pude perceber o olho do homem fixado sobre mim. Se por um instante eu tinha pensado em perfurar o meu chefe doze vezes eu não podia mais.
Aquele olho me fixava, não piscava e como uma ave de rapina a pupila se focava na presa. O olho daquele homem era mais do que uma janela para a alma, mas também um espelho da minha danação. Recuperar o revólver e matar a testemunha era o que dizia o glóbulo.
A viagem continuava e mesmo com as vibrações e instabilidades aquele olho não desgrudava em nenhum momento de mim. Cheguei ao meu ponto, durante a parte da viagem em que eu estava armado e fuzilado eu tinha chego a covarde conclusão de devolver a arma para o olho. Assim que coloquei o pé na calçada senti uma força me segurando pelo braço. Virei-me e lá estava o olho acompanhado do seu par simétrico e tão severo quanto. Apontei a arma para ele. O olho não mudou de expressão, aproximei o cano e entreguei o revólver.
Depois disso não lembro de mais nada, acordei com uma dor de cabeça aqui na delegacia. Acredito que ele me deu uma coronhada e desmaiei.

– Se esse for o caso você não deveria estar num hospital?!

– Acho que sim, não sei por que me seguras aqui!?

-Talvez tenha a ver com o seu chefe.

– O que tem ele?

– Contaram 12 furos no corpo dele.

O homem mais sortudo do mundo

outubro 24, 2009

A crença popular nos diz que para ter sorte temos que nos proteger com alguns amuletos, como trevo de 4 folhas (eu sempre ficava procurando…nunca achei!), pé de coelho, ferradura, entre outros. Com esse verdadeiro acervo de bibelôs “sem dúvidas” disfrutaríamos da bonança que a vida poderia nos dar.

O fato é que não sei se o personagem do vídeo abaixo usava algo desse tipo citado, contudo sem dúvida este é o homem mais sortudo que eu já ví. imaginem você ser atropelado por um carro, é ruim!, agora por um ônibus – tá piorando!, e se ainda fosse os dois! É foi sem dúvida um dia de muita sorte na vida dessa pessoa. Confiram:

É escapar de uma atropelam dupla, não tem preço!

Awkward

maio 18, 2009

Tão estranho como a ortografia da palavra “awkward” (bizarro/estranho) em inglês são as fotos de familia neste site.
Fotos de familia principalmente aquelas de natal são coisas, como diriam alguns, bizarras…

Para complementar as fotos estranhas, leiam os comentarios hilários de cada uma das fotos.

YooouuuTuuube

maio 13, 2009

Taí uma forma diferente de ver vídeos no YouTube: com um mosaicos de frames. Basta colocar o link do video desejado na página do YooouuuTuuube e começar a assistir.

Para testar, coloquei o link na imagem para ver Lucy in The Sky with Diamonds no YooouuuTuuube:

imagemyooouutube

Sua mãe sempre disse pra você não colocar o dedinho na tomada, né?

abril 4, 2009

Quem não se lembra daquelas aulas de física do ensino médio? É se você prestou um pouquinho de atenção vai lembrar de um personagem muito famoso no meio, o Nokila Tesla. Tesla foi um físico que criou e desenvolveu muitas técnicas ligadas a eletricidade e ao fluxo magnético, algumas de suas principais invenções foram: o Raio-X, radar, lâmpada fluorecente, bobina de Tesla, entre outros.

Desses destaco um muito interessante que muita gente não conhece, a bobina que leva o nome de seu inventor. Esta tem como finalidade, gerar tensões elétricas de alta voltagem, antigamente muito usadas em eletroterapia, geradores e afins.

Bem como diriam, “nada se cria, tudo se copia“, desta vez não foi bem assim, não copiaram, mas adapitaram de maneira bem criativa, perigosa, mas criativa e muito legal de se ver. Confiram nestes dois vídeos o que estes intusiástas da alta voltagem aprontaram:

Tema Super Mario Bros

(more…)

Taí uma coisa que eu nunca havia imaginado

abril 4, 2009

Muitas vezes, discussões sobre o que é arte e o que não é, pode-se acalorar num grupo. Sempre vemos na mídia, grafiteiros apagando suas pinturas em muros, paredes, etc, por causa da não aceitação dessa manifestação artística por parte da população.

Agora imaginem, criar um retrato sem pincel ou tinta, apenas com a criatividade, dedos e principalmente com cheetos, isso mesmo, aquele salgadinho que outrora já foi nosso companheiro de recreio. Vejam o que o cara faz:

Eu acho que ele não gostava tanto de comê-los!

Baqueta pra te quero!

abril 4, 2009

Eu acho que estou perdendo o jeito de escrever, se é que já tive algum. O mesmo ocorre com um baterista de um grupo de musicos coreanos. Se um dia ele teve habilidades de baterista, realmente ele perdeu para sua performática exibição.

Não tenho detalhes do vídeo, mas sabe-se que é do início dos anos 90. Por incrível que parece, compensa perder alguns segundos do seu tempo vendo. Confira:

Obama’s Elf

fevereiro 20, 2009

Inútil e hilário:

Uma perfomance carregada de emoção.